Home / Notícias / Manchester City, um clube local que tenta manter suas origens 

Manchester City, um clube local que tenta manter suas origens 

Uma das coisas mais importantes em um clube de futebol é a sua origem, os princípios que o envolvem e o que ele representa para a sua comunidade.

Quem conhece o Manchester City sabe que é um clube local com uma torcida local. Claro, que após a compra pelo Sheikh Mansour em 2008 e o recente sucesso, a tendência é o seu crescimento global. Mas o Man City se recusa a esquecer daqueles que são a fundação do clube.

A cultura inglesa é diferente da brasileira, e não existe aquela obsessão com pesquisas de quem tem a maior torcida do país ou quem é o maior. E os torcedores do Man City se orgulham de sentar no Etihad Stadium e saber que o cara do lado dele é o John ou Mike de Prestwich e não o Lintang da Indonésia. A torcida sempre tirou sarro do United por clamar ter 700 milhões de torcedores ao redor do mundo, e eles questionavam se eram torcedores ou “glory Hunters”, e quantos daqueles eram locais e se frequentavam o Old Trafford.

Algo que sempre percebo no Manchester City é sempre a preocupação de reconhecer a importância da torcida local. Todo ano, na mensagem do final da temporada que o Chairman Khaldoon Al Mubarak faz ele os menciona.

“Nosso clube é um clube especial e nossos torcedores são especiais. Eles passaram por muitas coisas e nunca abandonaram o clube”, disse ele em junho.

“É preciso que haja um constante reconhecimento dos jogadores e todos para com os nossos torcedores. Eles [torcedores] vão nos carregar nos tempos difíceis”, completou Khaldoon.

Omar Berrada, Diretor de Operações do City Football Group disse que o Man City pretende crescer globalmente, o que é muito importante nos dias de hoje, mas que eles trabalham de uma forma diferente dos outros clubes e sempre lembrando de suas raízes.

“A maioria das principais equipes européias  tem uma base de fãs global, e no Manchester City temos 400 milhões de seguidores ao redor do mundo, dos quais 97% estão fora do Reino Unido”, explica Berrada.

“Um dos nossos pilares básicos é ser verdadeiramente global e estamos procurando maneiras de nos envolver com os nossos fãs.”

“Não nos comparamos com os outros clube e não temos uma perspectiva de alcanca-los, porque desenvolvemos nossa própria estratégia, mas precisamos continuar crescendo. Não medimos nosso sucesso por receita, mas queremos continuar crescendo. Por isso somos uma organização sustentável e podemos ter sucesso.”

“Estamos profundamente enraizados na comunidade, e tentamos manter isso em mente com tudo o que fazemos no nosso crescimento. O núcleo dos nossos torcedores estão aqui no Reino Unido e em Manchester especificamente. Nós queremos que eles sejam felizes e nós queremos que eles desfrutem assistindo a equipe jogar um bonito futebol.”

A mudança do emblema do clube e da forma que foi feita a escolha exemplifica tudo o que o eles tentam pregar. Torcedores por anos pediam uma volta às origens do emblema e ele foi feito basicamente com a opinião da torcida local, algo que seria impossível com os fãs globais que desejavam a permanência do emblema antigo.

A forma que o Man City trabalha com a sua torcida é diferente do que acontece com o United. Lembro de uma revista feita por torcedores dos Reds chamada Red Issue, que hoje está extinta, dizendo que o clube vendeu sua alma, sua essência, para buscar lucros e mais lucros. Que preferem ter um turista sentado na cadeira do Old Trafford, mas que pode pagar o valor que eles desejam, do que um torcedor local identificado e apaixonado pelo time.

Um descaso com a torcida local foi o anúncio da contratação do Paul Pogba. Direto pessoas do Brasil reclamam que o Man Ciy anuncia as suas contratações de jogadores muito cedo, na madrugada. A verdade é que o clube trabalha com o horário local. As 9h ou 10h da manhã é quando as pessoas estão indo ou chegando em seus trabalhos, começando mais um dia, e sentando no trem ou em frente ao seus computadores o anúncio poder ser visto por eles.

Pogba foi anunciado à meia-noite no Reino Unido, isso porque o United estava procurando uma visão global, principalmente americana, pois nesse horário eles antigiram o primetime no Tio Sam. Isso deu certo, tanto que o United comemorou que o anúncio do Pogba foi o mais comentado na história do Facebook. Só que nesse horário, meia-noite, muitos torcedores locais estavam dormindo e só ficaram sabendo no dia seguinte. Para muitos, foi uma falta de respeito do clube com a sua torcida: Porque o resto do mundo poderia ver o anúncio da contratação do Paul Pogba menos eles, ingleses, onde o clube é baseado?!?

Essa filosofia do Man City é implantada 100% pelo clube e abraçada pelo Pep Guardiola. O treinador catalão foi apresentado para torcida, diferentemente dos que os outros clubes ingleses fazem, quando apresentam seus treinadores para a imprensa.

“Queríamos que o primeiro contato que Pep tivesse com o clube fosse com os torcedores, pois eles são tão importantes para nós”, disse Berrada.

No dia da sua apresentação o Guardiola disse o tanto que a torcida era importante para essa nova jornada, e que era o desejo dele que eles fossem ao Etihad Stadium e saíssem de lá felizes.

“Precisamos dos nossos torcedores, porque sem eles o sucesso é impossível. A primeira meta é tentar jogar bem. Eu gostaria que os torcedores fossem ao estádio e pensar: ‘Uau, eu gosto de como eles jogam.”

Acredito muito hoje na globalização de um time de futebol, mas a sua essência nunca deve ser esquecida. Por conhecer os torcedores do Man City sei o tanto que esse clube faz parte da vida deles, pois está no seu sangue.

São torcedores que acompanharam o clube nos momentos mais duros de sua história, segunda, terceira divisão , dentro ou fora de casa. Não importava a distância eles sempre estiveram lá.

Se o clube estava em pé em 2008 foi por causa dessa torcida que o carregou nos braços. Se algum dia o Man City virar as costas para ela em busca de milhões ao redor do mundo seria como apunhalar um ente querido.

Por isso aprovo essa abordagem do Man City. Que o clube sim, tente conquistar o mundo, mas que a torcida local nunca saia debaixo das suas asas.

Sobre Evans

Avatar for Evans
Fundador, Twitter, ManCityBrazil TV, Podcast, Correspondente na Inglaterra e Seasoncard holder do Manchester City.

Veja mais

Aymeric Laporte é o novo zagueiro do Man City

O Manchester City oficializou hoje a contratação do zagueiro francês Aymeric Laporte, após rescisão contratual …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *